Não consigo encontrar as respostas de que tanto preciso no presente, mas o futuro parece-me ser um caminho demasiado longo para que somente o percorra de mãos dadas com o vento.
Há dias em que a solidão ameaçava vir para ficar e aí, a minha loucura começa. Ósculo suavemente o Sol,  de olhos fechados, e no ardor dos lábios arrasta-se a saudade de um beijo. Há muito tempo que num querer nada, sinto a falta de tudo... Sinto-me sozinha. E quando estou sozinha, eu penso. Quando penso, eu lembro. Quando lembro, eu sinto dor. Quando sinto dor, eu choro. Quando eu choro, não consigo parar...   

4 commentaires:

  1. Gostei do blogue, estou a seguir :)

    RépondreSupprimer
  2. Felizmente, que és normal, felizmente! (:

    Ps: E adoro a música que tens no blog agora!

    RépondreSupprimer

cher Joana