Na minha cabeça um turbilhão de pensamentos perfeitos e inoclusões constantes, deflagram-me a simples capacidade de raciocino.
É verdade, há um par de horas fizeste-me feliz, mostraste-me o que há mais para conhecer em ti e como deves calcular, não irei esquecer o facto absoluto de teres sido o único capaz de me arrancar um sorriso espontâneo e simultaneamente palerma, no meio de todas as lágrimas que derramei ao longo de toda a manhã. Obrigada, doce.
Porém, não sei que proveito hei-de tirar de tudo isto, pois o certo é que és uma pessoa inconstante e com a qual ainda estou a aprender a lidar… Nunca sei o que estará para acontecer, nunca sei o que esperar de ti e isso deixa-me inevitavelmente insegura e versátil.
E sabes, sempre que penso em ti é quase impossível não me recordar das palavras desilustrais que um dia me disseram: "tu apaixonas-te por uma ilusão que crias dessa pessoa, e quando descobrires verdadeiramente quem ela é, desiludes-te."

Mais intenso que o meu medo,
mais forte  que a minha razão.

Aucun commentaire:

Enregistrer un commentaire

cher Joana