mais uma noite. armei-me de coragem, enchi o peito de ar e juntamente com o orgulho engoli toda a vontade que tinha em lhe bater. deite-me junto a ele e permaneci firme a seu lado, à espera que o sono o levasse, mas não levou. cada pequeno movimento seu alermava-me e cada suspiro atemorizava-me. vesti a minha capa invísivel de super-mulher para tentar despistá-lo, mas aí os meus joelhos começaram a tremer freneticamente e não levou muito até que toda eu tremesse também. o meu coração pulsava dissimuladamente dentro do peito e eu continuei ali, porém a verdade é que eu estava com medo... estava com tanto medo.