E ela era apenas mais uma. Menina de sensibilidade lustre, rosto pueril, um toque de timidez moderno num envolto nostálgico, uma voz de tom delicado e formosura senhoril. Ela sorria somente porque sim… Porque o seu orgulho era demasiado desproporcional aos sentimentos, e como tal, expor a sua dor àqueles que a abominavam, era uma afronta, uma derrota. 
Ninguém sabia o quanto ela sofria pelas saudades de o ter, escondida a um canto do quarto… Ninguém imaginava quantas vezes ela chorava em silêncio, apenas para não ouvirem o seu soluçar de dor, dor de não poder tê-lo novamente por perto. Ninguém desconfiava que quando se deitava na cama e fechava os olhos, não via a escuridão como seria suposto, mas sim o retrato do sorriso que ele esboçava logo que a beijavaE ela era apenas mais uma. 
Uma menina ainda apaixonada. 

17 commentaires:

  1. adoro, que bonito! obrigada doce*

    RépondreSupprimer
  2. oh, muito, mas muito obrigada, fofinha :')

    RépondreSupprimer
  3. claro que tenho, estás a ser uma querida *
    oh, eu nunca sei em que blog comentar, quando as pessoas têm 2. Em qual preferes?

    RépondreSupprimer
  4. oh, então comento este. Gosto sempre mais de comentar aquilo que é pessoal, minha querida.
    está tão lindo, princesa!

    RépondreSupprimer
  5. Parece que me revejo neste post, em parte. Eu também escondo as minha mágoas atrás de um sorriso.

    Também é verdade que a falta dele magoa, mas custa quando parece que és a única a tentar que tudo corra bem, e adivinha quem sai sempre magoada? Eu, always.
    Obrigada.
    Beijo grande :D

    RépondreSupprimer
  6. Obrigada e eu então AMEi o teu texto (;

    RépondreSupprimer
  7. Gostei do blog, vou seguir (:

    *se quiseres passa pelo meu !

    RépondreSupprimer

cher Joana